Terceira Semana

A terceira semana foi bem corrida. Pois estávamos envolvidos com o acampamento de jovens e juvenis que aconteceria de quarta a sábado. Porém antes, na terça-feira, visitei mais uma escola. Mais uma oportunidade de falar do Brasil, falar de Deus. Foi muito bonitinho, porque era meio que uma colônia de férias. E cada dia tinha um tema. Fui no dia de “bons-modos”. Onde foi necessário falar da importância de ter bons modos, da obediência, de ser comportado e da importância fazer um bom presente e assim garantir um bom futuro. Pude ter a oportunidade de citar meus exemplos. E mesmo que eu tente fugir da saudade de casa não dá. Pois, além de Jesus, meus pais são meus maiores exemplos. Se eu estou aqui, se tenho o que tenho, foi por causa da educação que recebi.

 

Acampamento

Então… este acampamento que participei acho que deu para poder aprender um pouco de cada coisa. E também uma oportunidade do meu coração provar de sentimentos novos. Vou tentar explicar, mas nada se compara a poder ver com meus olhos, ouvir com meus ouvidos e sentir com meu coração e corpo tudo o que pude sentir lá.

Na verdade eu fui pra lá meio que ciente de certas diferenças. Digo… diferenças em todos os sentidos, desde a comida até no próprio relacionamento com Deus. Foi engraçado provar tantas comidas diferentes… desde o café da manhã até o jantar. E o mais engraçado é que era bom! A única coisa que não foi possível acompanhar o ritmo deles foi colocar pepino, tomate e mais uma carne estranha no pão no café da manhã. Idealize acordar cedo e encarar um pão com tomate e pepino?? Isso é o verdadeiro choque cultural, porque para eles é a coisa mais natural e para nós tão diferente. Enfim… do mais estava tudo uma delícia!!!

Um detalhe muito importante…um dia antes, devido a necessidade, foi necessário mais uma pessoa para pregar, pois a pessoa que iria não pôde porque sua filhinha estava doente (se eu não me engano ele também) e qual foi o próximo nome??? Sim, eu. E eu nunca havia pregado nem em português, imagina em inglês que não é minha primeira língua?!!! Portanto, eu estava absolutamente voltada para Deus. Tive várias conversas com Ele. Como um grande amigo. E falei a verdade: – Deus, estamos aqui eu e você. O tema é sobre o relacionamento com o Senhor através do Espírito Santo. Então, venha!!! Venha e me ensine. Coloque as palavras na minha boca, porque eu me coloco a disposição. Por mais que  eu possa ficar nervosa, confio em Ti. Espírito Santo (eu falando…rs), eu vou falar sobre intimidade. Por isso venha e esquente este lugar. Me esquente. Pois, Tu sabe das minhas limitações, Tu sabes até onde acho que consigo ir, Tu sabes que eu por mim mesma não vou conseguir fazer absolutamente nada!!!”

Bem, não sei quanto a você que está lendo este diário. Não sei como está sua vida com Deus, ou como estão seus problemas e o que você precisa vencer. Se são problemas, se são limites em você. Se é algo impossível aos seus olhos. Mas gostaria que lesse com atenção este próximo parágrafo e se coloque no meu lugar imaginando seus problemas e quando Deus entra neles…

Eu preguei na quinta-feira a noite e a tarde dei um workshop dentro do mesmo tema. E, neste período não foquei no nervosismo e na tarefa. Foquei na minha conversa com o Espírito Santo e nas orações. O workshop aconteceu bem (porque não fui eu, foi Deus). E chegou a hora… fui pregar. No início eu estava completamente tomada pelo sentimento de nervosismo. Comecei a ler meus papéis que havia levado com tudo o que eu precisava falar e eu podia só ler para não fazer feio. E assim que comecei a ler, ficava difícil…tão difícil, e eu ficava cada vez mais nervosa. E todos ali me olhando. Nessas horas da vontade de que??? Sair correndo óbvio! Mas não! Não era isso que Deu havia preparado para aquelas vidas. Pois assim como Ele me ama, Ele também ama aquelas vidas e anseia por elas. E foi esse amor que Ele tem me ensinado e colocado no meu coração para que eu também ame cada coração estoniano. E sabe o que aconteceu? O Espírito Santo veio! E Ele me esquentou naquele lugar. Deixei de lado o papel e comecei a falar. Como se o idioma fosse o meu. O Espírito Santo veio de uma maneira tão sobrenatural e forte, viva, que junto com Ele veio a autoridade. Veio a ousadia, e Ele me deu todas as palavras necessárias, e eu falava com a maior naturalidade. Foi preciso só me colocar a disposição e abrir a boca. E Ele fez. E eu contei minha vida, minhas experiências, e aqueles olhinhos capturados na palavra de Deus, capturados em ouvir o que Deus faz quando buscamos a verdadeira intimidade…NÃO TEM PREÇO! E foi assim… o sobrenatural de Deus.

Bem, durante os demais dias, eu pude ver de tudo… pessoas se rendendo, O Espírito Santo esquentando toda a frieza espiritual, pude ver a briga entre luz e trevas e que isso não está só escrito na bíblia, isso existe. Pude estar face a face com vários tipos de situações estranhas e ruins e entender cada vez mais a importância de vir para este lugar. Porque Deus ama e tem carinho por Eles aqui, também. E aqui é terreno fértil para o “lado B”. Sabe? Luz e trevas não são apenas coisas de filme de terror. Isso é real. Tão real quanto eu e você. E estes corações, estas vidas em todos os estágios de necessidade precisam de ajuda. Precisam do hospital de Jesus. Precisam ser aquecidas pelo Espírito. Precisam sentir o que é esta tal ‘intimidade’ que temos aí no Brasil.

No acampamento, Deus esteve presente das mais variadas maneiras. E eu me coloquei a sua disposição. E era só isso. Se colocar a disposição. Eu me colocava a disposição para orar, e quando percebia, estava orando fluentemente e dando respostas de oração. Falando intimamente com pessoas que nunca vi. No meio disso, pude sentir um carinho muito especial por uma jovem, entre as tão lindas e especiais que haviam lá. Mas esta foi algo que realmente Deus colocou no meu coração com o conta-gotas dele. Sabe? Se eu tive vergonha e receio de chegar até ela e falar? Mas, é claro! Só que quando o Espírito Santo te aquece… ahhhhhh quando o Espírito Santo te aquece, quando você convida o Espírito Santo pra te acompanhar e te aquecer, é impossível não se sentir aquecido. E com ela não foi diferente. Quando vi, já estava ali, eu e ela na frente de algumas pessoas (o que para eles não é algo comum, tão pouco aceitável, falar assim, na frente dos outros). E lá estava eu mais uma vez. E Deus fez! Queridos, Deus fez! Porque Deus queria falar com ela, queria dar de beber, queria aquecer aquele coração. Porque tão importante quanto o meu coração era o daquela jovem. E é também o seu que está lendo.

Ao término do acampamento, posso afirmar que Deus me surpreendeu. Não que Ele tenha me surpreendido por fazer algo e por mostrar que Ele é Deus. Pois eu acredito. Mas fiquei sem palavras de ver que independente do que eu supunha ou havia presenciado quanto a frieza, o Espírito Santo estava lá. E aqueceu aquele lugar. E fez milagres, e ensinou a muitos a verdadeira intimidade, quebrantou corações. Sim… Ele quebrou e refez muita coisa ali.


 

Últimas Notícias

Facebook

Get the Facebook Likebox Slider Pro for WordPress